search
top

LEITE FRACO: A VERDADE

Será que seu leite é fraco?

Conheça o que poucas mães conseguem ver!

Você vai se surpreender!

.

AS TRÊS PERGUNTAS

Responda  as três perguntas abaixo e descubra rapidamente a verdade.

1 - Quando você acompanha seu bebê no pediatra, o pediatra diz que o ganho de peso está adequado?

2 - Seu bebê urina oito vezes ou mais ao dia?

3 - Você consegue extrair ao menos 10 ml de leite após tentar ordenhar por vários dias?

Bom, se o seu bebê somente mama e o ganho de peso está adequado, então é impossível você ter qualquer tipo de problema com o leite, quer seja com quantidade ou com qualidade.

Já se você consegue extrair leite, mas o bebê não ganha peso, então deve haver algo errado na técnica de amamentação. Ainda assim, não é o leite que falta, mas a maneira de amamentar é que pode estar equivocada. Um bom profissional pode orientar corretamente.

A urina do bebê também é uma excelente maneira de avaliar a amamentação. Afinal de contas, se o bebê urina muito é por que bebe muito leite! OK?

.

NINGUÉM TEM LEITE?

De todas as mães que deixam de amamentar, 50% ou mais justificam o fato de terem interrompido a amamentação dizendo que têm pouco leite ou que o leite é fraco, mas a grande verdade é que a hipogalactia verdadeira é extremamente rara! É muito difícil haver uma mãe que não tem leite! Então por que tantas mães dizem isso? Ninguém tem leite?

O leite materno vem perfeitamente formulado em termos de proteínas, carboidratos, gorduras e vitaminas e modifica-se ao longo dos meses conforme as necessidades do bebê.

Até mesmo mamães adotivas, que nunca sequer engravidaram, conseguem produzir o leite necessário com um pouco de disciplina e orientação. E os bebês adotivos agradecem!

.

TRÊS TIPOS DE LEITE

Muitas mães acham que o leite materno é muito aguado, muito fraquinho.

A verdade é que existem três tipos de leite que toda mãe possui.

Eles são liberados dentro de uma mesma mamada, porém em momentos diferentes.

Veja quais são:

Leite Anterior – É aquele que é liberado logo no começo, assim que o bebê pega o peito e começa a mamar. É Rico em Água e Carboidratos (açúcares). É graças ao leite anterior que os bebês que mamam nem sequer precisam tomar água, pois já recebem toda a água de que precisam. Por ser muito aquoso, algumas mães acham que ele é “fraquinho”.

Leite Intermediário – É um pouco mais rico em proteína e gordura, mas não muito.

Leite Posterior – Vem para o bebê ao final da mamada. É mais espesso e amarelado. É rico em Gordura e Proteína, trazendo saciedade por mais tempo e sendo responsável pela maior parte do crescimento e ganho de peso do bebê.

Sempre se deve deixar o bebê mamar na mesma mama até que esteja completamente vazia. Somente após esvaziar um lado é que se deve trocar de peito. Assim é possível garantir que o bebê chegue ao leite posterior, que é muito importante para o ganho de peso.

.

O CHORO DO BEBÊ

O choro do bebê é um dos grandes fatores que deixam as mamães muito inseguras. Quando o bebê chora, ela pode pensar que é fome e que seu leite é fraco ou que tem pouco leite. É claro que nem sempre o choro significa fome.

O bebê chora por qualquer motivo. O bebê tem muitos motivos para chorar.

Barulho, necessidade de atenção, sono, frio, calor, fraldas sujas, ambiente pesado e cólicas são apenas alguns dos motivos de choro. Nem sempre é fome!

Uma mulher com autoestima abalada tem mais possibilidades de achar que seu leite é fraco.

.

OS 7 PRIMEIROS DIAS

É absolutamente normal que um bebê perca até 10% de seu peso nos primeiros dias após o nascimento e isso ocorre devido a diversos fatores. Somente por volta de 7 a 14 dias de vida é que o bebê irá recuperar o mesmo peso que tinha ao nascer.

Quantas mães se desesperam com a perda de peso e já iniciam a mamadeira? Não façamos isso! É um engano! Persista na amamentação! Consulte-se com um pediatra!

.

A TERCEIRA SEMANA

A partir da terceira semana de vida, surge uma entidade que assombra muitas mães: as cólicas do lactente.

Com a chegada das cólicas, o bebê tem crises de choro horríveis, mas que irão desaparecer espontaneamente quando a criança completar três meses. Até lá, espere bastante choro.

E não adianta dar leite artificial, pois o resultado é que haverá mais cólicas.

Mantenha a amamentação!

Há várias técnicas para aliviar as cólicas, mas não é o objetivo deste artigo.

Onde eu quero chegar? É que quanto mais o bebê chora, mais possibilidades de que uma mamãe desprevenida pense que seu leite é fraco e que não está deixando o bebê saciado. É justamente nesta época, quando começam as cólicas, que muitas mulheres desistem de amamentar seus bebês. Não faça isso! Persista! Vale à pena!

.

OS 7 EXTERMINADORES DA AMAMENTAÇÃO (ver artigo)

I - Falta de Informação e Conhecimentos

II - Falta de Preparo da Equipe de Saúde

III - Mitos e Fatores Culturais

IV - Baixa Autoestima Materna

V - Falta de Apoio Familiar

VI - Chupetas e Mamadeiras

VII - Retorno da Mãe ao Trabalho

 

PARABÉNS POR AMAMENTAR!

top